segunda-feira, 7 de julho de 2014

Cubismo

Cubismo

"Há pintores que convertem o sol em uma mancha amarela, e há outros que com o auxílio de sua arte e sua inteligência convertem uma mancha amarela no sol." Pablo Picasso.

           Cubismo é um movimento artístico que surgiu no século XX, nas artes plásticas, tendo como principais fundadores Pablo Picasso e Georges Braque e tendo se expandido para a literatura e a poesia pela influência de escritores como Guillaume Apollinaire, John dos Passos e Vladimir Maiakovski. O quadro "Les demoiselles d'Avignon", de Picasso, 1907 é conhecido como marco inicial do Cubismo.
Nele ficam evidentes as referências a máscaras africanas, que inspiraram a fase inicial, juntamente com a obra de Paul Cézanne. Historicamente o Cubismo originou-se na obra de Cézanne, pois para ele a pintura deveria tratar as formas da natureza como se fossem cones, esferas e cilindros. Entretanto, os cubistas foram mais longe do que Cézanne. Passaram a representar os objetos com todas as suas partes num mesmo plano. É como se eles estivessem abertos e apresentassem todos os seus lados no plano frontal em relação ao espectador. Na verdade, essa atitude de decompor os objetos não tinha nenhum compromisso de fidelidade com a aparência real das coisas. O movimento cubista evoluiu constantemente em três fases:

O Cubismo Cézanniano ou Cubismo Pré-analítico foi a fase que iniciou o movimento do cubismo. Esta fase foi fortemente marcada pela obra de Cézanne, sobretudo no carácter analítico das formas e planos de cor, que influenciou a análise de paisagens e objectos. Também a arte africana foi uma das grandes bases do cubismo devido às suas formas simplificadas e às volumetrias duras. Pablo Picasso era um colecionador de fotografias, e formou uma coleção de imagens da arte primitiva das máscaras dos povos africanos. Esta influência aparece pela primeira vez numa obra de Picasso em 1907, Les Demoiselles d'Avignon, inaugurando a chamada "Fase negra" do pintor. Deu origem a uma fase seguinte, mais pensada e desenvolvida, o cubismo analítico. "Mulher jovem", de Pablo Picasso.


Cubismo Analítico - (1909) nessa fase, os objetos e pessoas representadas quebram-se em muitas faces, decompõem-se. O artista procura a visão total da figura, examinando-a em todos os ângulos ao mesmo tempo. E devido à fragmentação excessiva dos objetos, tornou-se quase impossível a identificação das figuras. As cores eram poucas. Pretos, cinza, tons de marrom e ocre, a pintura era feita com diversos tons da mesma cor. Picasso e Braque são os pintores mais importantes desta fase. Composição com vaso azul", de Fernand Léger(1918). Cubismo Sintético - (1911) essa fase buscou recuperar um pouco as formas “identificáveis”, com cores mais fortes e composições mais decorativas. Deu preferência às formas arredondadas e menos angulosas Outra característica dessa fase do cubismo foi a utilização da colagem com a introdução de elementos no quadro, como letras, números, pedaços de jornal, vidros, madeira etc. Era uma alusão à presença real do objeto. Juan Gris e Fernand Legér são os pintores mais importantes dessa fase.


 Cubismo Sintético - (1911) essa fase buscou recuperar um pouco as formas “identificáveis”, com cores mais fortes e composições mais decorativas. Deu preferência às formas arredondadas e menos angulosas


Outra característica dessa fase do cubismo foi a utilização da colagem com a introdução de elementos no quadro, como letras, números, pedaços de jornal, vidros, madeira etc. Era uma alusão à presença real do objeto.

Juan Gris e Fernand Legér são os pintores mais importantes dessa fase.



Fonte: http://aartecubista.blogspot.com.br/

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Desenhando...colorindo...







Fonte:
https://www.youtube.com/marcellobarenghi

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Pontilhismo e os Principais Artistas

Pontilhismo e os Principais Artistas

Origem – Surgiu em 1886 com a última exposição dos artistas impressionistas.Dessa exposição participaram dois artistas que dariam uma nova tendência ao movimento: Geoges Seurat e Paul Signac .
Técnica de pintura: Essa técnica foi chamada de PONTILHISMO e DIVISIONISMO.Porque as figuras, na tela, já representadas em minúsculos fragmentos ou pontos, cabendo ao observador percebe-las como um todo plenamente organizado.
 Principais Artistas
  • Edgar Degas: Teve um estilo muito pessoal, foi um pintor de poucas paisagens e cenas ao ar livre. Os ambientes de seus quadros são interiores e a luz artificial.Sua grande preocupação era flagar  em instante da vida das pessoas, aprender um momento do movimento de um corpo ou da expressão de um rosto.
O foyer de dança no Ópera
  •  George Seurat: Foi o principal artista do movimento pontilhismo, reduziu as pinceladas a um sistema de pontos uniformes, que no seu conjunto proporciona ao observador a percepção de uma cena. No quadro Tarde de domingo na Ilha Grande, temos uma cena de lazer, comum até hoje: Passar algumas horas da tarde de domingo em um parque , os trajes e acessórios masculinos e femininos são típicos do século XIX. Podemos observar como a figura foi construída com pequenos pontos.Todos os demais elementos da tela foram pintados desse modo.
Tarde de domingo na Ilha Grande

Paul Signac: Foi um pintor que explorou as possibilidades da pintura pontilhista.
A boia vermelha - 1895

  • Auguste Renoir: Foi o artista impressionista que ganhou maior popularidade e chegou mesmo a ter conhecimento da crítica ainda em vida.Seus quadros manifestam otimismo,alegria e a intensa movimentação da vida Parisiense no fim  do século XIX.
  • Two Sisters (On the Terrace)

  • Vincent Van Gogh: Conhecer Van Gogh é entrar em contato com um artista apaixonante.Alguém que se empenhou profundamente em recriar a beleza dos seres humanos e da natureza por meio da cor. Foi pastor na Bélgica,abandonou o ofício de Pastor para tornar-se pintor, a sua primeira expressão artística foi na Holanda  com a técnica do claro-escuro e personagens sombrios e triste .


Noite Estrelada

Pontilhismo e seus artistas

Surgida na segunda metade do século XIX, a técnica do Pontilhismo  foi utilizada por pintores franceses neo-impressionistas. A técnica, também conhecida como Pintura de Pontos, consiste na justaposição de pontos de cor criando o efeito desejado pelo pintor nos olhos do observador. Os artistas George Seraut e Paul Signac impulsionaram o Pontilhismo como técnica e o Divisionismo como teoria baseando-se em estudos científicos do químico Michel Chevreul cuja obra De la loi du contraste simultané des couleurs (Da lei do contraste simultâneo das cores), publicada em 1839, demonstra que cada cor ao lado de outra, sem serem mescladas,  têm sua aparência original modificada.
Antes do neo-impressionismo, experiências divisionistas foram testadas por Jean-Antoine Watteau (1684-1721), Eugène Delacroix (1798-1863) e Pierre-Auguste Renoir (1841-1919). São consideradas obras representativas divisionismo (apresentando técnicas do pontilhismo) Um Domingo de Verão na Grande Jatte (1886) e Banhistas em Asnières (1884) de Seraut, já no início do neo-impressionismo, bem como Retrato de Félix Fénéon (1890) e Entrada do Porto de Marselha, (1911) de Signac.
O neo-impressionismo foi um movimento artístico que tanto se desenvolveu a partir do impressionismo como também se opôs a ele. Apesar de George Seraut manter características impressionistas (pinturas ao ar livre e representação da luz e cor), suas obras apontam para direção diversa. Ele abandona o foco impressionista na representação naturalista dos ambientes e na incidência da luz, privilegiando o corte geométrico e a pesquisa científica da cor. Após a morte de George Seraut, Paul Signac torna-se líder da tradição pontilhista demonstrando algumas particularidades, como por exemplo, pontos e manchas mais evidentes que obras divisionistas anteriores.
A influência do neo-impressionismo pode ser observada em obras de Vincent van Gogh (1853-1890), Paul Gauguin (1848-1903), Henri Matisse (1869-1954) e Henri de Toulouse-Lautrec (1864-1901). No Brasil, diversos artistas (Belmiro de Almeida, Eliseu Visconti, Rodolfo Chambelland, Artur Timóteo da Costa, Guttmann Bicho), da época da Primeira República (1889-1930), utilizaram procedimentos divisionistas em suas paisagens e pinturas decorativas. Influências neo-impressionistas podem ser observadas nas cores claras e luminosas das obras Efeitos de Sol (1892) de Belmiro de Almeida (1858-1935) e Moça no Trigal (s.d.) de Eliseu Visconti (1866-1944).


Fontes:
http://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia_ic/index.cfm?fuseaction=termos_texto&cd_verbete=3642
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pontilhismo
 ________________________________________________________________________________

 O Pontilhismo surgiu na França, como tantos outros movimentos culturais, por volta do ano de 1880.

O Pontilhismo nasceu da observação de que pontinhos de cores puras colocados cuidadosamente lado a lado produziam o mesmo efeito de misturar as mesmas cores na paleta.


Georges Seurat

Georges Seurat (1859-1891), é aquele que se pode considerar o iniciador desta corrente artística. O seu grande contributo inovador consistiu na decomposição prismática da cor e na mistura óptica que ela provoca, deixando para segundo plano a representação do instante luminoso que tanto havia apaixonado os impressionistas. Suas obras podem ser consideradas o ponto máximo atingido pelo pontilhismo, tal como Tarde de Domingo na Ilha de Grande Jatte e a obra-prima inacabada O Circo.

No Brasil, diversos artistas atuantes no período da Primeira República (1889-1930) empregaram procedimentos divisionistas, especialmente em suas paisagens e pinturas decorativas. Podemos destacar, nesse sentido, os nomes de Belmiro de Almeida, Eliseu Visconti, Rodolfo Chambelland, Artur Timóteo da Costa, Guttmann Bicho, entre outros. O painel central do teto do Foyer do Teatro Municipal do Rio de Janeiro é um exemplo de pintura decorativa onde Eliseu Visconti empregou vários estilos e procedimentos artísticos, inclusive o pontilhismo.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Pontilhismo


_______________________________________________________

La Parade, (1889) - Georges Seurat



Une baignade à Asnières, (1884) - Georges Seurat



La calanque, (1906) - Paul Signac


O circo (obra inacabada), 1891 - Georges Seurat


 


Ponto e Linha

A linha e as artes plásticas

A linha e as artes plásticas

Imagem 5.jpg

Linha

A palavra LINHA vem do latim “LINEA”
significa extensão com uma só dimensão - é unidimensional porque só tem
COMPRIMENTO.

A linha surge do movimento do ponto.
 
 Fonte: https://joaodemeira.wikispaces.com/A+linha